Nevou no meu Brasil - Sound Design: Rodrigo Marçal,Interpretação: Olívia Torres,Texto:Nina Dadi
00:00 / 00:00

Eu no meu cavalo, montada, seus olhos por todos os lados. Você me vê. Te vejo.

Ah, Cordilheira, quantas pessoas se perderam entre seus vales? Como se atravessa um acidentes destes? Como foi a tremida da Terra pra você nascer? 

É preciso subir e descer, subir e descer, 

perfurar desanuviar, saltar, esquiar, fluir em puro prana. Aceitar o vazio à frente, 

não saber o que falar, escrever, 

o que sentir, viver. 

Um cisco no olho, lacrimejo, um cílio caído no branco inteiro de um lírio enviado, recebido, enviado, 

entregue, lido. Ser amado. Ser armado. Corpo desalmado. 

Chegamos então à palavra que faltava. Onde ela fica nestas montanhas? A palavra, o verbo? 

Crer. Acreditar, acreditar na fantasia de um amor com fim. Assim como a vida 

com morte.

 

Me over my horse, mounted, your eyes all over. You see me, I see you.

Ah, Range, how many persons were lost in between your valleys?

How can one cross an accident like these?

How was the trembling of Earth for you to be born?

It’s necessary to go up and down, up and down, to drill , unwind, jump, ski, flow in pure prana

Accept the emptiness towards

ignore what to say, what to write, what to feel, live.

A cisco in the eye, watery eye, a fallen eyelash in the entire white of a sent lily, received,sent,

delivered,read. Be loved. Armed Being. Soulless body.

We arrived then to the word that was missing. Where is it in these mountains? The word, the verb?

Believe. Believe, believe in the fantasy of a love with an end. Like life with death.

(…)

 

E a pedra crua marrom escura, a realidade acima de 0º, os campos onde árvores não cresceram sequer morreram, oxigênio seco e aviões cinzas, a bancada agrícola dominando o planalto, juízes democráticos apoiando populações ribeirinhas, as ditaduras na América Latina, o efeito Orloff em nós. Eu sou você amanhã.

 

And the rough dark brown stone, reality over 0º, camps where trees didn’t grow, not even died, dry oxygen and grey planes, the agricultural counter dominating the plateau, dictatorships in Latin America, the Orloff effect on us. I am you tomorrow.

 

Mas que meu amanhã sem você seja meu, meu só meu, Cordilheira, 

que seja resgatada a identidade brasileira,

e que eu não esteja perdida apesar da iridescência ofuscada… 

Que todas manhãs sejam paz brancas ingênuas abertas e leves…opacas… 

novamente, sempre novamente… 

e que eu esteja preparada para o frio… 

porque é preciso manter a pressão alta, 

sem autoritarismo, ditadura, vaidade, censura, casta ou machismo, 

sem qualquer ismo… 

tudo é uma questão de gosto ou 

liberdade

 

But my tomorrow will be without you, mine, mine, only mine, Range,

to be rescued the brazilian identity, 

not to be lost though the obfuscated iridescence

all mornings white peace naive opened and light…opaque…

again always again

to be prepared for the cold

because it is essential to keep the high pressure,

without athoritarism, dictatorship, vanity, caste, censorship or machism,

without any ism…

it’s all a question of taste or

liberty

 

Vênus Vênus Vênus, ela, Venezuela, sua origem, Cordilheira, sua Deusa nascida da madrepérola, 

Afrodite oriunda da espuma do mar, 

Planeta ancião dos vulcões do mundo.

Terra de gritos vãos.

Vista-me de vermelho, dê-me coragem para o outro.

Quem é você? O que você pensa? Mas quem é você? E mais: quem sou eu?

Onde estamos? Quem somos nós? 

Vênus do amor, estrela d’alva no céu, me aponta. 

Importa? Pra quem?

É uma questão de mercado?

 

Vênus, Venus, Venus, Vezuela, your origin, Range, your Goddess born from the Mother of Pearl

Aphrodite deriving from the sea foam

Ancient planet from the world’s vulcans

Land of vain cries

Dress me in red, give me courage to the other

Who are you, what do you think, who are you and plus who am I?

Where are we? Who are we?

Star, point it to me.

Does it matter? Import? For whom?

Is it a matter of market?

 

Tem o amor ao amor e tem também o medo do medo. 

Uns se deixam amar. Outros têm medo. 

 

There is the love to love and there is the fear of fear.

Some let be loved. Others fear.

 

Aceitar o vazio à frente, não saber o que falar, escrever, o que sentir, viver. 

Neve. Neblina. Branca, prateada.

Chegamos então à palavra que faltava.

A palavra, o verbo, onde ele fica nestas montanhas?

Crer, é preciso crer para se manter vivo. 

Mesmo que a paisagem seja triste ou simplesmente esta. 

 

Accept the emptiness in front, not knowing what to say, write, what to feel, live

Snow, mist, white, silver.

We’ve arrived then to the word that was missing

the word, the verb, where is it in these mountains? The word, the verb?

Believe. It’s necessary to believe to be alive.

even if the landscape is sad or simply this one.

 

Considerara esta cordilheira andina,

com pirâmides e patas de leão 

de pedra,

mas nada resta.

Fogo de palha.Nem sambaqui.

Arqueologia efêmera

assim como um tupi

niquim.

Nem analisa

nem lembra não,

isto é pra mim. 

Uma raposa na surdina,

não suporta museu.

 

Considered this Andean Range

with pyramids and lion paw

of stone 

but nothing is left

straw fire. not even midden

Ephemeral arqueology

like tupi

niquim

Not even think about

not even remember

this is for me

a mute fox

a museum hater.

 

Seres humanos inventam 

piscina,penicilina, 

preconceitos, trejeitos,

desfaçatez 

água com gás, 

creme inglês, 

guerra e paz, 

mas este morango, este morango, cordilheira, é milagre divino. 

E este vinho foi Baco quem fez

quando ainda menino 

as uvas espremeu. 

 

Human beings invent

waterpool, penicilin,

prejudgements, mannerisms,

effrontery

sparkling water

english cream

peace and war,

but this strawberry, this strawberry, Range, is a divine miracle

and this wine was Baco whose made

when still a boy

the grapes squeezed

 

 

Loucura sagrada, sou tua noiva profana. 

Somos astronautas no seu foguete Challenger, 

preparados para explodir. 

O que mesmo não pode vir antes? Ácido ou Base? 

Geléias de jaboticaba feitas em casa 

elixir

colocado 

no cume 

do pão.

Frutas pretas que nascem 

coladas 

ao caule, 

bonita, gostosa, especial, tropical.

Mulheres projetam Asas Deltas sobre o céu daquele que parece o Dois Irmãos. 

Sobre este platô poderíamos botar uma televisão. 

 

Sacred madness, I’m your profane bride

We are  astronauts in your Challenger Rocket

prepared to explode.

What can’t come before? Acid or Base?

Jaboticaba's jams homemade

Elixir

put

on the top.

Blake berries that are born

glued

to the stalk,

beautiful, delicious,special, tropical.

Women project Hang glider over the sky of that one that looks like the Two Brothers.

Over this plateau we could put a TV.

 

amarelo,amarelo, devagar, 

o sinal, o sinal, 

cautela cuidado. 

Balde de água fria. Frieza. 

Surfamos de long John, então? 

Não. Pra quem reinicia, mar revolto não

 

Yellow, yellow, slow, 

the sign, the sign, 

Caution, take care

Cold water bucket. Coldness.

We surf with Longjohn then?

no. For those who restart, no revolted sea.

 

Nebulosa e branca está a cordilheira. 

De frestas profundas e nefastas é bela inatingível.

Desenrolo sobre a neve gélida que você se tornou. 

Sou avalanche. Eu sou avalanche. 

Rasgo em busca do espírito que me deixou. 

Soul. Alma zombando de um corpo que tem prazer no flow. 

Este sim está aqui, ficou. 

Digam ao povo que meu corpo ficou. 

Está aqui sobre este cavalo, 

tum tum tum tum. 

Digam ao povo que meu corpo ficou.

 

Cloudy and white is the Range.

Of deep and nefarious crevices is untouchable and beautiful

Unwind over the gelid snow that you became

I’m avalanche, I am avalanche.

Rip in search of the spirit that has left me.

Soul. Teasing soul of a body that has a pleasure flow.

This one is here, it stayed.

 Tell my people that my body stayed.

it’s right over here, over this horse, 

tum tum tum tum.

Tell my people that my body stayed.

 

Rum watered.

 

 

Regado a rum.

 

Nesta terra fértil onde tudo floresce,

voam cavalos alados.

Crianças em trenós, 

não estão armadas 

são almas sorrindo deslizantes

não traficam por aqui, vejam só, 

as crianças brincam,

se penduram, mergulham dos cipós!

O lixo está camuflado, nevou!

Nevou no Brasil!

Tudo pode aqui pode tudo aqui, acreditem! 

Até amor verdadeiro depois do gozo branco arrebatador

e as outras mortes são pequenas, 

pequenas mortes

que só dão brilho

 

à vida.

 

In this fertile soil where everything flourishes,

fly wingedhorses.

Children on sleds, 

they’re not armed

they are smiling sliding souls 

they don’t traffic over here, look!

children play!

they hang and dive from the lianas!

All the garbage is camuflated, it snowed!

It snowed in Brazil!

Evrything is possible here! Believe!

Even true love after the white jouissance

and all the other petite morts are petitel

little deaths

that just bring shine

 

to life.