IMG_7424
Mulher Brasileira Vendo
"Cenas Pintadas" são textos escritos por mim interpretados por atores/atrizes/eu mesma.
A idéia é que o espectador pinta em sua mente as imagens sugeridas pela tradição oral que se instaura.
Nina Dadi tem também projetos de "Happenings".

“Você é Fogo” 

 

HOMEM - A gente tá comendo farfalle, aquele macarrão que uns chamam de borboleta e outros de gravatinha, prefiro chamar de gravatinha, meu pai preferia usar gravata reta normal, ele usava todo dia, até que macarrão você sabe fazer, viu? Fui eu que fiz, né? Tá gostoso, desculpa ter reclamado tanto da sua pimenta, é que realmente prefiro às vezes tomar um açaí, engordei? Devo estar magrinho, magrinho, pelo menos esta é minha sensação deitado aqui minha barriga, meu umbigo parece estar encostando nas minhas costas. Que que eles estão falando de mim, hein? Que que eles estão falando de nós? O povo fala, cês sabem, né, gente, o povo fala, o povo fala, comenta, mas engraçado é que o povo fala entre si, ficam nesta vidinha de bairro, falando pra quem pensa igual o que pensa… Que festa linda, rapaz, tem pessoas peladas servindo cocktails, tem negroni, você tá com esta mania de campari agora, só porque a bebida é vermelha, você tá com esta mania de vermelho agora, antes você não era assim… é uma caverna, olha, tem várias entradas, cada caverna toca uma música diferente, cadê você? onde cê foi? amor? onde cê foi? enquanto não houver perdão não haverá amor. O que é esta coisa que desmilingua o ser em contradições e paralisa a mente pensante? O que é esta coisa que rodeia os pavores e faz dançar os pavões em cores? O que é este fruto que dá sabor ao paladar irrefutável? O que é esta bateria pulsante do tambor interno desconcertante? O que é viver estando morto? Amor? Onde cê foi? Ah, deve estar na caverna do soul, desde que os amigos filósofos dela falaram pra ela que reggae é pobre musicalmente que ela não se permite ouvir um Bob Marley, será que ela tá na caverna do Schopenhauer? Não, rapaz, Chopin, Chopin… isto! Tô precisando mesmo é de um chope, caralho, que peito bonito, será que é silicone o peito desta mulher? Lembra que chorei quando você botou peito? Lembra? Tá bom, não entendia quando você falava que queria ter filho só pra poder amamentar de novo. Mulher amamentando fica com o maior peitão bonito, leite de mãe é meio ralo. Engraçado isto de conhecer a mulher por dentro, conheço minha mãe por dentro, já ela não me conhece por dentro, morei lá dentro um tempo, né? E você, conheço um pouco. Na caverna do, do…kuduru, tá lá enlouquecida dançando kuduru que eu sei, na caverna do axé, eu queria, que esta fantasia fosse eterna quem sabe um dia a paz vence a guerra e viver será só festejar, êoêo, já pintou verão calor no coração, isto aqui é Escócia, tá um puta frio lá fora, por isto que estamos aqui reunidos nestas cavernas… pra trabalhar neste lugar tem que ficar pelado…gente, esta gente não tem pudor, né? Prefiro olhar você com seu biquini, aquela vez que você ficou me falando na contra-luz do sol de Ipanema que seu culote esquerdo tava maior que seu direito e que sua coxa direita, passando a mão assim na bunda, não tava ouvindo mais nada, tava só te olhando, gostosa. Tô, tô de pau duro sim, mamãe, tô de pau duro sim, por que? Tô vivo, não tô? Pega lá a escala pra medir o quanto tô vivo, vai, pega lá, isto, caverna do rock n’roll, te amo, meu amor, meu Deus, como te amo, vou voltar, viu? Vou te fazer feliz, já peguei mulher pra caralho aqui no Japão, nem tenho mais medo da sua mania de possessão, quero te comer igual comi aquela japonesa toda amarrada com os nós, pendurada no teto, a mulher gozou, amor, cê precisava ver, ela fez aquele squirting, manja, cara, não isto é golden shower, não é possível que esta japonesa esteja gozando deste jeito em cima de mim, amor, tenho muito poder, cheira, cara, cheira, porra, a mulher goza mesmo, japa gostosa vou te comer mais e mais, vem cá, muda aí a posição desta pendurada, caraca, a mulher é acrobata, rapaz, que tesão, puta que pariu, sushi, ah não, não é possível uma coisa destas, pegou a faca, gozou, fez sushi, cuidado com meu pau, porra, hum… vaca massageada, isto aqui é bife ou atum, caralho, que delícia de xoxota, vou de lamber toda, te comer de cabo a rabo, que maravilha, amor, vem comigo, vem, pára de chorar, amor, pelamordeDeus, pára de chorar, isto aqui tá bom demais, não acredito que cê tá com ciúme da enfermeira, hahahahaha, esta enfermeira é boa, é boa enfermeira, amor, enfermeira só, ela cuida de mim, e eu, quero você, olha, ninguém é de ninguém, fala isto pra sua mãe, este negócio dela ficar falando da sua, sua, nossa, sua, como é mesmo o nome da sua…caralho, que porra de vício de linguagem é este? Sociedade escravocrata de merda, viu? Ah, mas todo mundo fala assim, pois é, agora não vai mais falar, tolerância zero na porra da lei seca, não vai mais falar que nem todo mundo fala, sua ex-empregada foi morar na Suécia e não era tráfico humano, não, não, não era, ela é inteligente e meteu o pé daqui, amor, a gente tá no Brasil? Se aqueles portugueses não tivessem chegado aqui com aquelas roupas fedidas a cc, não ia ter cheiro de esgoto nas favelas, porque índio é limpo demais, rapaz, índio não precisa de perfume francês, aí chega aquela gente, porque que não meteu a flecha logo no Pedro Alvares Cabral, os caras iam morrer de medo de voltar aqui, pisou no Brasil, morreu, cheira mal, ú, morreu...não ter saneamento básico, sabe o que é isto, gringo? Não é vida boa não. É misto de podridão com chorume, vômito, merda, cheiro forte pra caralho, meu sangue, pi pi pi pi pi pi, que? Hemorragia? Que que houve, gente? Bebi sim, calma...vou parar com tudo, vou cortar esta mulher da minha vida, vou parar com tudo, porra não vi o carro, tava cambaleante, porra, quando bebo, fico menos tímido, me transformo, falo com as pessoas, não teria nem te conhecido, nem dado aquelas gargalhadas se não tivesse bebido, sou tímido que só a porra, fechado travado, pow, desviei, pow, desviei também, pow, ai! furadeira não, isto, seda, morfina, por favor, qualquer coisa, que maravilha a ciência, a medicina, pelo menos tô vivo, Michael Jackson é que sabia das coisas, vivia isto aqui todas as noites.  Que areia quentinha de deitar, hum, tô afundando na areia, hum, tô passando por dentro da areia, tô indo, hum, pro centro da Terra, bola de fogo nas costas, que giro mais lindo no ar, o carro bateu e eu ó, vum, vum, vum, vum, girei em espiral triplo igual a baixinha lá americana fazia nas olimpíadas, mas como sou homem, bonito pacas, me revirei assim, vestindo aquele, é, amor, pinguin não, monogamia não, não, não, obsessão, esta mulher pirou minha cabeça e meu coração, tô te amando,lembra? Eu, a gravatinha e o tapete, moleque, o carro veio e fiz a dança da borboleta no ar, bonitão de preto e branco com o vermelho e as estrelas todas e Eu… tava saindo do mar lá em Arembepe, na Bahia, aquela aldeia hippie da Janis Joplin, sabe, puta sol na lata, a Dona Maria tinha uns bisnetos todos pelados com catarro seco sob o nariz, uns bebês pelados com catarro seco, andando na beira do rio, aí tinha a barraca da senhora, a panela tava fervendo o feijão ali no fogo na lenha na areia e ela me vendeu uma cocaína, rapaz, sol, sol da Bahia, fui no mar, aquela praia de Canoa Quebrada, hahahaha, os carros agora são em formato de canoa nas ruas do Rio, hahahaha, é mesmo, amor? de collant, é? Cross dressing é demais! Cara, tava escuro, a maré subiu tão rápido, quando entrei no mar, deixei minha roupa ali, no arbusto, aí quando volto, cadê o arbusto? Tudo água, água, todas as gravidezes por vir, mar revolto, espuma de tesão, carneirinho no mar, Afrodite, Deusa, minha deusa, perdi minha roupa, tô pelado, tô pelado igual os bisnetinhos da Dona Maria, sou Adão, vou voltar pro hotel, com uma folhinha na frente do meu pau, minha Eva, Caim matou Abel? Que? Perguntaram isto lá no colégio? Tá, tô mudando de assunto, não, vocês é que falaram aí, então, quando saí do mar só vi aquele farol vindo na minha direção, ficou escuro de repente, lusco-fusco, maré subiu, não reconheci mais o terreno, amor, girei no ar, assim, pelado, sabe, foi tão bonito, o pôr do sol, é, sei cê tava lá, cê viu, ainda bem que não foi com você, é,  cê girou comigo de mãos dadas, que lindo pas des deux! Porra dançava muito aquele mendigo com o pé de havaiana e unha suja malcortada no paralelepípedo, falava pra ele “Fora Temer!” ele arregalava o olho, mostrava o cartaz e dançava dançava, parecia um boneco acionado por “Fora Temer”…tá, já entendi,nem quero mais, tá, não vou mais beber, não vou, você quer um bebê? Bebês crescem, sabia,amor? Oi, filho, tô aqui, tá tudo bem, filho, e você? Fecha os olhos para ver. Fecha os olhos pra ver o vazio, para encarar o “inevitável”. A profundeza das mortes por vir. O tempo do homem. E fim. A vida tem morte. A morte é necessária. “Ame o necessário”, “Ame até mesmo a morte”, “Ame o destino”. (...)

 

“Eu sou Paixão” 

MULHER - Uma trilha pela mata, atlântica, embaúbas prateadas palmitos jussaras - quando a gente transava era assim - samambaias gigantes, urucum, jacarandás, mimosas brimu cronatas. Eu, montada no meu cavalo. Você, montado no seu cavalo. A roda girando, o batuque tá forte, eles descem em nós. Nos beijamos. Obrigada, Pai Agenor, Instituto de Educação, Colégio Militar, Tijuca toda! Obrigada Tim Maia, Malu Mader, Felipe Camargo, Vera Fischer, obrigada tesouras jogadas pela janela, obrigada Aperana, palmeiras imperiais  e a depressão desta porra toda. Não, uma trilha pelos cafezais, são cafezais em volta de nós. Tudo pré-reflorestado, 72 ou 52 chácaras, comigo chegaram 50 mil franceses, alemães, pintores paisagistas e outros muitos da América Espanhola, ninguém se conhecia antes, péssima sociabilização, fala, meu irmão, ninguém sabe fazer porra nenhuma, todo mundo precisa de escravos. Eu, montada no meu cavalo subindo a montanha, o sol fazendo o verde ficar fluorescente, papagaios, minha bunda mexe, mexe pra lá e pra cá junto com a bunda e a bosta que sai do cu do cavalo, adoro cheiro de bosta de cavalo e o barulho desta bicharada. Minha bunda mexe pra lá e pra cá, minha bunda é grande, minha bunda é bem grande, tem arame por dentro da saia, rendas e rendas sobrepostas. Você, atrás de mim, montado no seu cavalo. Estes índios precisam aprender de uma vez por todas quem é Deus. Você. E eu. Nosso casamento arranjado, você é apaixonado por mim? Sou contra o liberalismo, mas sei me comportar mil caravelas até aqui, você, de pau duro, me viro pra você. Você vê meu rosto, meu bigode, ah, meu majestoso bigode te dá muito tesão, minha aparência de lutador de sumô com vestes femininas, esta luta greco-romana, este biquini enfiado no cu, esta banheira do Gugu, tudo isto é lindo demais pra você, ah! Vida tropical! 

Não, não é meu bigode que faz seu pau subir, é o pompoarismo dela e da irmã dela. Você conseguiu ser amante da irmã da sua amante, Dom. Você, nossa história, o que nos constitui, nossos filhos, ó, Pátria amada. Ai! Minhas mono-celhas, pode comer, querido, pode comer minha irmã, tô doente nesta cama mesmo, por que vocês dois não vêm aqui transar na minha frente para eu me masturbar de tanto amor, Sapão? Pintão, pintor, também sou pintora, hijo de puta! Te queda zen, respira, te queda zen. Você, e eu no pavilhão dourado de Kyoto, te faço chá verde no fogo que acendemos no buraco do chão da sala, nossas espadas descansam, comemos a comida quente que evoluiu os cérebros animais, somos samurais, descobrimos o incandescente, a chama, a brasa, dançamos o encantamento arrebatados, ah, isto é algo que vai mudar tudo, ah, fogo, fogo, meus dentes podres, nossos cabelos compridos brancos secos, nossos odores e músculos, odisséia, o susto sublime de quem sente pela primeira vez. Você, arranca minha meia-calça, sou debutante, você bar-mitzvá marcado, a gente se embrenha atrás do galinheiro, você urra, mosquitos me picam, você é grande, não, que é isto? nunca quis, ele me estuprou, papai, como pão de queijo, tenho vergonha, cadê o véu, a grinalda, pisco o olho pro ginecologista, sim, ainda sou virgem e como assim você não sabe que se gozar dentro engravido, isto se nasce sabendo. Sim, deve haver um perdão para mim senão nem sei qual será o meu fim, para ter um companheiro até promessas fiz, consegui um grande amor, mas eu não fui feliz e com raiva para os céus os braços levantei, blasfemei, hoje todos são contra mim. Você, e eu, sequestrador e sequestrada apaixonados sem liberdade, vítimas e algozes do nosso próprio desejo. A gente corre de mãos dadas pelas ruas, fogos em Copacabana, somos amantes da ponte nova, você me faz sushi do peixe do rio que você pegou com a mão, nos conhecemos na candelária, sobrevivemos à chacina, engravidei, dei, entrevista, nossos filhos nasceram, vivemos na rua, brindamos cada roubo, cada imposto sonegado, cada fraude eleitoral, fizemos fortuna, fomos descobertos, coitadinhos de nós, matamos meus pais porque eles eram contra. 

(...)